KINIKINAU:<br> arte, história, memória & resistência

KINIKINAU:
arte, história, memória & resistência

Autores: Giovani José da Silva - Aila Villela Bolzan - Rosaldo de Albuquerque Souza

livro impresso
de R$ 62,90 por
livro digital
de R$ 62,90 por

Disponibilidade: 5 Dia(s)
+ Prazo de Frete

 
Indique para um amigo
Insira seu CEP para calcular o frete:

Sinopse

Extintos: assim foram considerados os Kinikinau ao longo do século XX por renomados antropólogos brasileiros, tais como Darcy Ribeiro e Roberto Cardoso de Oliveira. Segundo esses mesmos pesquisadores, só existiriam remanescentes da etnia espalhados por algumas aldeias Terena do antigo sul de Mato Grosso. Durante quase um século, os indígenas Kinikinau se mantiveram “invisíveis” aos olhos do poder público e da sociedade em geral. Obrigados a assumir uma identidade étnica alheia, perambulando por diferentes paisagens, sempre souberam quem eram, quais suas origens, mas, para evitar perseguições e um possível massacre, se calaram. Contudo, não deixaram de existir e tampouco de sonhar com um regresso ao território tradicional, à vida que lhes foi usurpada pela cobiça dos que lhes tomaram a terra! Como a ave fênix, das mitologias egípcia e grega, os Kinikinau renasceram das próprias cinzas e hoje fazem seu grito de guerra ecoar por todo o território brasileiro, a partir de Mato Grosso do Sul. No final dos anos 1990 iniciaram um movimento de lutas por reconhecimento da própria existência e por direitos historicamente negados. A coletânea Kinikinau: arte, história, memória & resistência reúne pesquisadores que se debruçaram sobre a trajetória espaço-temporal deste povo indígena filiado linguisticamente aos Aruak e que tem suas origens mais remotas no Chaco paraguaio. Juntos, os autores, incluindo indígenas Kinikinau, apresentam um mosaico que revela histórias e memórias de dor e de sofrimentos, mas também de fé e de esperanças! Espera-se que a obra que vem a público ajude a apagar as ideias de extinção e de esquecimento dos Koinukunôen! A fênix renasce, mais uma vez!

Detalhes do produto

Editora: EDITORA CRV
ISBN:978-85-444-1568-9
DOI: 10.24824/978854441568.9
Ano de edição: 2017
Distribuidora: EDITORA CRV
Número de páginas: 184
Formato do Livro: 16x23 cm
Número da edição:1

Sumário

KINIKINAU:<br> arte, história, memória & resistência

Autores

AILA VILLELA BOLZAN
Possui mestrado em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2013) e graduação em Ciências Sociais pela mesma instituição (2009). Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em Etnologia Indígena, atuando principalmente nos seguintes temas: povos ameríndios, arte indígena e Antropologia política.


GIOVANI JOSÉ DA SILVA

É antropólogo e historiador. Licenciado (1995) e mestre (2004) em História pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS/ Campi de Aquidauana e Dourados). Especialista em Antropologia (2001) pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), doutor em História (2009) pela Universidade Federal de Goiás (UFG) e pós-doutor em Antropologia (2013) pela Universidade de Brasília (UnB). Atualmente realiza estágio pós-doutoral em História na Universidade Federal Fluminense (UFF). Foi professor de História e Antropologia Cultural do Curso de Formação de Professores Kadiwéu e Kinikinau, entre 2001 e 2004. Vencedor, dentre outras importantes premiações, do Prêmio Victor Civita 2001 – Professor Nota 10, do Prêmio Péter Murányi 2009 – Educação e do Prêmio Professor Rubens Murillo Marques 2016 (Menção Honrosa). Organizou as coletâneas Kadiwéu: Senhoras da Arte, Senhores da Guerra, em 2011 e Kadiwéu: Senhoras da Arte, Senhores da Guerra – Volume 2, em 2014, ambas pela Editora CRV. Atualmente é docente dos Cursos de História, de Direito, da Licenciatura Intercultural Indígena e do ProfHistória – Mestrado Profissional em Ensino de História, da Universidade Federal do Amapá (Unifap).


IÁRA QUELHO DE CASTRO

É professora da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul). Doutora em Ciências Sociais (Etnologia Indígena) pela Unicamp.


ILDA DE SOUZA

É graduada em Letras e Pedagogia. É Mestre em Linguística Aplicada pela UEM e Doutora em Linguística pela Unicamp. Foi professora de Linguística e Estágio Supervisionado da Uniderp de 1993 a 2008. Foi professora temporária da Universidade Nacional de Timor Leste e participou do Programa de Cooperação Internacional Brasil – Timor-Leste e Programa de Qualificação de Docente e Ensino de Língua Portuguesa em Timor-Leste – PQLP/CAPES. Participa do Projeto Saberes Indígenas na Escola, Rede Mato Grosso do Sul – UFMS e trabalha no Projeto de Revitalização da Língua Ofayé.


INACIO ROBERTO

É professor licenciado pela UFMS/ Campus de Aquidauana (Licenciatura Intercultural Indígena “Povos do Pantanal”, Área de Linguagem).


JOÃO EVALDO GHIZONI DIETERICH

Formou-se no ano de 2012, no Curso de Licenciatura Plena em Geografia da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, Unidade Universitária de Jardim. Fez mestrado no Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) no ano de 2015. Trabalha com identidade e territorialidade indígenas, mais especificamente com a etnia Kinikinau, desde o ano de 2010.


JOSÉ LUIZ DE SOUZA
É natural de Santo André, SP. Formou-se na mesma cidade em Bacharelado e Licenciatura em Ciências Sociais pelo Centro Universitário Fundação Santo André. Mais tarde especializou-se em Geografia Humana pela PUC Minas e em 2005 concluiu o Mestrado em Geografia pela UFMG. A aproximação com os Kinikinau (Koinukunôen) ocorreu durante os trabalhos com Educação no município de Porto Murtinho, MS, entre 2000 e 2005, no Curso Normal em Nível Médio – Formação de Professores Kadiwéu, Kinikinau e Terena em que os autores Kinikinau deste livro foram alunos e que, atualmente, continuam protagonistas da história Kinikinau.


MIRIAM MOREIRA ALVES

É professora, com graduação em Letras pela Universidade do Oeste Paulista (Unoeste) e pós-graduada em Linguística pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, UFMS. Trabalhou como professora no Curso de Formação e Habilitação de Professores Indígenas, pela Escola Padre Felix Zavattaro, mantido pela Associação de Educação Católica (AEC) em parceria com a Secretaria Estadual de Educação de Mato Grosso do Sul. Participou como professora no Curso de Formação de Professores Kadiwéu e Kinikinawa, oferecido pela Secretaria Municipal de Porto Murtinho.Trabalhou como técnica e, posteriormente, como gestora do Núcleo de Educação Escolar Indígena na Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso do Sul.


OTHON HENRY LEONARDOS
É geólogo pela UFRJ, M.A pela Universidade da California (1966) e Ph.D. pela Universidade de Manchester (1972) na área de Geologia. É membro titular da Academia Brasileira de Cîências (Ciências da Terra) e professor titular aposentado da UnB. Atualmente é professor emérito da UnB, atuando no Centro de Desenvolvimento Sustentável, onde exerce a função de coordenador do Mestrado Profissional em Desenvolvimento Sustentável junto a Povos e Terras Indígenas. Leciona Indigenismo e Sustentabilidade e realiza seminários sobre metodologias de pesquisa interdisciplinar, dialogando com as Ciências Humanas e Ciências da Terra. É autor de duas centenas de publicações, com trabalhos fundamentais em Geoquímica, metamorfismo, gênese de depósitos minerais, kimberlitos e rochagem para uma agricultura sustentável. Orientou dezenas de teses, dissertações e monografias. Suas novas linhas de pesquisa são políticas públicas, cultura e sociedade e território, meio ambiente e sociedade.


ROSALDO DE ALBUQUERQUE SOUZA

É professor, de séries iniciais do Ensino Fundamental, formado em Magistério de nível médio indígena pelo Projeto Kadiwéu e Kinikinau, licenciado em Ciências Biológicas pela UEMS – Campus de Dourados e mestre em Desenvolvimento Sustentável – Modalidade Sustentabilidade Junto a Povos e Terras Indígenas pela UnB/CDS - Brasilia – DF. Atualmente é docente pelo Governo do Estado de Mato Grosso do Sul na cidade de Campo Grande.


VALÉRIA GUIMARÃES DE CARVALHO COUTO

Possui mestrado em Linguística pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2006). Atualmente é professora da Universidade do Vale do Paraíba (Univap) e professora efetiva da Prefeitura de Pindamonhangaba. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Sociolinguística e Língua Portuguesa.