livro digital
100 ANOS DA REPRESA GUARAPIRANGA:<br> lições e desafios

100 ANOS DA REPRESA GUARAPIRANGA:
lições e desafios

Autores: Carlos Eduardo de M. Bicudo - Denise de Campos Bicudo (organizadores).

livro impresso
de R$ 239,90 por
R$ 210,90
livro digital
de R$ 239,90 por
R$ 167,93

Disponibilidade: 5 Dia(s)

 
Indique para um amigo
Calcule prazo de entrega e frete:

Sinopse

Guarapiranga é um reservatório emblemático no Brasil, pois representa um cenário de desafios entre água de boa qualidade e urbanização. A represa teve sua construção iniciada em 1906 e concluída dois anos depois, em 1908, para geração de energia elétrica para a cidade. Em 1929, com o crescimento da RMSP, Região Metropolitana de São Paulo, e uma população que já beirava o dobro, 800.000 habitantes, a Guarapiranga tornou-se um dos sistemas mais importantes de abastecimento público de água, além de prover outros serviços ambientais à população da RMSP.
Este livro surgiu de nosso comprometimento com essa represa que supre as necessidades diárias de milhões de habitantes. E que, paradoxalmente, se encontra cada vez mais comprometida. Nasceu da necessidade de compreender seu histórico de transformações ambientais ao longo dos últimos 100 anos, quando estas ocorreram; e as razões que levaram à sua degradação. Apresenta abordagem multidisciplinar ao abranger a associação da bacia hidrográfica, uso e ocupação do solo, marcadores ambientais químicos, biológicos e interferentes ambientais na água e nos sedimentos superficiais. As condições atuais da qualidade da água da represa, os efeitos da eutrofização e de contaminantes e seus impactos na saúde pública também são discutidos. Por fim, fornece uma reflexão sobre as ações de gestão nos últimos 25 anos.
Esta obra contou com o apoio da FAPESP, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, e a colaboração de 60 especialistas entre profissionais e estudantes de pós-graduação.
Guarapiranga deixa um legado de desafios e lições a serem firmemente considerados nas ações de conservação e recuperação de represas ameaçadas pela urbanização.

Detalhes do produto

Editora: EDITORA CRV
ISBN:978-85-444-1690-7
DOI: 10.24824/978854441690.7
Ano de edição: 2017
Distribuidora: EDITORA CRV
Número de páginas: 506
Formato do Livro: 16x23 cm
Número da edição:1

Sumário

100 ANOS DA REPRESA GUARAPIRANGA:<br> lições e desafios

Autores

ALINE SALIM
Graduada em Geografia com ênfase em Gestão Ambiental e Territorial pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2007) e Mestre em Ciências pela Universidade de São Paulo. Atualmente, é Especialista Ambiental II e trabalha como assessora técnica do Gabinete da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. Tem experiência na área de Meio Ambiente, Geoprocessamento/Sensoriamento Remoto e Planejamento Ambiental.

ANA LUIZA SPADANO ALBUQUERQUE
Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Santa Úrsula (1989), mestrado em Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Federal de São Carlos (1992) e doutorado em Geociências (Geoquímica) pela Universidade Federal Fluminense (1998). Professora Titular do Departamento de Geoquímica da Universidade Federal Fluminense, RJ, coordenadora do Laboratório de Oceanografia Operacional e Paleoceanografia e do Diretório de Pesquisa CNPq-Rede Interinstitucional de Paleoceanografia e Oceanografia. Atua na área de geoquímica marinha aplicada à reconstituição paleoceanográfica / paleoambiental. Coordena diversos projetos de pesquisa neste tema, como também orienta diversas dissertações de mestrado, teses de doutorado e supervisão de pós-doutorado no assunto.

ANDERSON TARGINO DA SILVA FERREIRA
Técnico em Geologia e Mineração pelo Centro Federal de Educação Tecnológica do Rio Grande do Norte (2006), graduado em Geografia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2007), mestre e doutor em Geodinâmica e Geofísica pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2009, 2013). Tem experiência e foco na área de Geociências atuando, principalmente, com geotecnologias aplicadas à análise, planejamento e monitoramento ambiental. Atualmente é professor na Universidade Guarulhos, no Programa de Mestrado em Análise Geoambiental e membro do Conselho Municipal de Políticas Urbanas de Guarulhos.

ANTONIO MANOEL DOS SANTOS OLIVEIRA
Graduado em Geologia pela Universidade de São Paulo (1967), mestrado em Geociências (Geologia Geral e de Aplicação) pela Universidade de São Paulo (1980) e doutorado em Geografia (Geografia Física) pela Universidade de São Paulo (1994). Pesquisador do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (1968-1996). Professor Titular, desde 1999, da Universidade Guarulhos. Áreas de atuação: Geologia de Engenharia e Geologia Ambiental. Pesquisas: Tecnógeno e Antropoceno. Temas: processos geológicos de superfície e uso do solo: erosão, assoreamento, movimentos de massa, hidrologia. Cartas Geotécnicas e de Risco.

ANTONIO ROBERTO SAAD
Graduado em Geologia pela Universidade de São Paulo (1971), mestrado em Geociências (Geologia Sedimentar) pela Universidade de São Paulo (1977) e doutorado em Geologia Regional pela Universidade Estadual Paulista, Rio Claro (1991). Atualmente, é Professor Titular na Universidade Guarulhos, onde foi Coordenador do Programa de Mestrado em Análise Geoambiental. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Análise de Bacia e Geologia Ambiental atuando, principalmente, nos seguintes temas: Bacia Sedimentar do Paraná, Bacias Sedimentares de São Paulo e Taubaté, e Qualidade de Águas em Bacias Hidrográficas dos Municípios de São Paulo, Guarulhos e Arujá, Estado de São Paulo.

CARLA FERRAGUT
Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade de Santo Amaro (1990), mestrado (1999) e doutorado (2004) em Ciências Biológicas (Biologia Vegetal) pela Universidade Estadual Paulista, Rio Claro (1999). Atualmente, é pesquisadora no Instituto de Botânica, Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. Atua também como docente e orientadora no programa de Pós-Graduação em Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente do Instituto de Botânica, São Paulo. Participou no Corpo Editorial da revista Hoehnea (2006-2010) e atua como Editora Assistente no Brazilian Journal of Botany (2016-). Tem experiência na área de Limnologia, com ênfase em Ecologia de Algas Perifíticas, com particular interesse no papel do perifíton no funcionamento dos ecossistemas aquáticos.

CARLOS EDUARDO DE MATTOS BICUDO
Graduado em História Natural pela Universidade de São Paulo (1963), mestrado em Botânica e Fitopatologia pela Michigan State University, E.U.A. (1965) e doutorado em Ciências (Botânica) pela Universidade de São Paulo (1973). Atualmente, é pesquisador sênior aposentado do Instituto de Botânica, Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. Atua também como professor e orientador no programa de Pós-Graduação em Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente do Instituto de Botânica, São Paulo, da UNESP-Rio Claro e da Universidad de Concepción, no Chile. Tem experiência na área de Botânica, com ênfase em Taxonomia de Criptógamos atuando, principalmente, nos seguintes temas: biodiversidade de algas de águas continentais, taxonomia, reservatórios, fitoplâncton e levantamento florístico; e na área de Ecologia, com ênfase em Ecologia de Ecossistemas atuando, principalmente, nos seguintes temas: autecologia e sinecologia de fitoplâncton. É Professor Honorário da Universidade Nacional de Trujillo e da Universidade Nacional da Amazônia Peruana, ambas no Peru. É Sócio Benemérito da Sociedade Botânica do Brasil e da Sociedade Brasileira de Limnologia. É Membro Titular da Academia Brasileira de Ciências. Recebeu a Medalha de Mérito em Botânica “Graziela Maciel Barroso” pelos relevantes serviços prestados ao desenvolvimento da Botânica no Brasil.

CARLOS FERNANDO DE BRITO
Licenciatura Plena e Bacharelado em Química pelo Centro Universitário Fundação Santo André (2004). Graduação em Tecnologia em Processo de Produção pelo Centro Universitário de Santo André (1999), mestrado em Ciências-Química Analítica pelo Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares, Universidade de São Paulo (2009), doutorado em Ciências-Química Analítica pelo Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares, Universidade de São Paulo (2014), atuando na área de Análise Química Instrumental, com ênfase em aplicação das técnicas cromatográficas e espectrometria de massas, análise de elementos traços em diferentes tipos de matrizes e Química ambiental, especialmente nos seguintes temas: Química Analítica e Meio Ambiente.

CARMEN LÍDIA AMORIM PIRES-ZOTTARELLI
Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual Paulista (1984), mestrado em Ciências Biológicas (Biologia Vegetal) pela Universidade Estadual Paulista, Rio Claro (1990) e doutorado em Ciências Biológicas (Biologia Vegetal) pela Universidade Estadual Paulista, Rio Claro (1999). É pesquisadora científica do Núcleo de Pesquisa em Micologia do Instituto de Botânica. Tem experiência na área de Botânica, com ênfase em Taxonomia de Criptógamos, atuando nos seguintes temas: biodiversidade, Blastocladiomycota, Chytridiomycota, Hyphochytriomycota, Oomycota, taxonomia, Mata Atlântica, ecologia, fitopatologia e controle biológico. Atua também como docente e orientadora no programa de Pós-Graduação em Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente do Instituto de Botânica, São Paulo.

CÉLIA LEITE SANT’ANNA
Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo (1971) e doutorado em Ciências Biológicas (Botânica) pela Universidade de São Paulo (1980). Atualmente, é pesquisador cientifico do Instituto de Botânica. É especialista em taxonomia e ecologia de microalgas e cianobactérias atuando, principalmente, nos seguintes temas: biodiversidade de microalgas e cianobactérias de águas continentais, produção de cianotoxinas, represas de abastecimento e monitoramento. Atualmente, é docente do Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente do Instituto de Botânica, São Paulo.

CORINA SIDAGIS GALLI
Licenciada em Ciências Biológicas pela Universidad de la República, Facultad de Ciencias, Uruguai (1993), mestrado em Ciências da Engenharia Ambiental pela Universidade de São Paulo (1998) e doutorado em Ciências da Engenharia Ambiental pela Universidade de São Paulo (2003). Atua, desde 2003, como pesquisador da Associação Instituto Internacional de Ecologia e Gerenciamento Ambiental, em São Carlos, SP. Tem experiência na área de Limnologia atuando, principalmente, nos seguintes temas: biogeoquímica de rios e reservatórios, gases de efeito estufa, qualidade da água (diagnóstico e monitoramento). É membro da Sociedade Internacional de Limnologia (SIL) e da Associação Brasileira de Limnologia (ABLimno) e faz parte do grupo de especialistas do Projeto da UNESCO/IHA sobre Gases de Efeito Estufa para elaboração de manuais de especificação de medidas para avaliação das emissões de gases de efeito estufa em reservatórios.

DENISE AMAZONAS
Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo (2005) e mestrado em Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente pelo Instituto de Botânica, São Paulo (2014). Atualmente, é bióloga da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo. Atua, principalmente, nos seguintes temas: fitoplâncton, cianobactérias, limnologia, monitoramento da qualidade da água.

DENISE DE CAMPOS BICUDO
Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo (1978), doutora em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual Paulista, Rio Claro (1984) e Pós-doutorado pela University of Alabama, E.U.A. (1995). Atualmente, é Pesquisador Científico nível VI no Instituto de Botânica, Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. É professora e orientadora no programa de Pós-Graduação em Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente do Instituto de Botânica, São Paulo e no programa de Ciências Biológicas da UNESP-Rio Claro. Tem experiência na área de Ecologia de Ecossistemas Aquáticos (Limnologia), atuando principalmente nos seguintes temas: eutrofização, qualidade da água de reservatórios, bioindicação, reconstrução ambiental e de impactos antropogênicos (paleolimnologia), biodiversidade e ecologia de diatomáceas.

DENISE ROSSINI-PENTEADO
Graduada em Geografia (1995) pela Universidade Estadual Paulista e mestrado em Geografia (A.C. Análise da Informação Espacial-2001) pela Universidade Estadual Paulista. Atualmente é pesquisador científico nível VI do Instituto Geológico da Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo e Diretora do Núcleo de Dinâmica de Uso e Ocupação Territorial. Tem atuado em temas de pesquisa voltados à análise de perigos, vulnerabilidade e riscos geoambientais; dinâmica da ocupação do solo e sistemas de classificação do uso e do padrão da ocupação do território regional e urbano; análise espacial em Sistemas de Informação Geográfica e sensoriamento remoto de alta e média resolução espacial.

DÉCIO LUÍS SEMENSATTO JÚNIOR
Graduado em Ecologia (2001) e doutorado-direto em Geociências e Meio Ambiente (2006), ambos na Universidade Estadual Paulista, Rio Claro. Atualmente, é Professor Adjunto IV da Universidade Federal de São Paulo, campus Diadema. Foi assessor da chefia de gabinete da reitoria da UNIFESP entre 2014 e 2017. Foi coordenador do Programa Interunidades de Pós-Graduação em Análise Ambiental Integrada, da UNIFESP, entre 2014 e 2016. Lidera o Grupo de Pesquisa em Planejamento e Processos em Meio Ambiente (UNIFESP/Diadema), cadastrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq. Atua na área de Ciências Ambientais, Ecologia de Comunidades e Micropaleontologia do Quaternário. Atuou também como consultor autônomo na área de recursos hídricos, participando de equipes multidisciplinares para elaboração de EIA-RIMAs. Temas de principal interesse: qualidade da água, recursos hídricos, serviços ecossistêmicos, foraminíferos, tecamebas, ecologia de comunidades, manguezais, estuários, Micropaleontologia aplicada à resolução de problemas ambientais.

DONATO SEIJI ABE
Graduado em Ciências Biológicas (1986), mestrado em Oceanografia Biológica (1993) e doutorado em Ciências da Engenharia Ambiental (1998) realizados na Universidade de São Paulo. Desenvolveu parte de seu doutorado na Universidade de Shinshu, Japão. Desenvolveu projeto de pós-doutorado na Universidade Federal de São Carlos, onde realizou estudos sobre nitrificação, desnitrificação e caracterização das comunidades bacterianas envolvidas nesses processos. É Pesquisador Sênior da Associação Instituto Internacional de Ecologia e Gerenciamento Ambiental em São Carlos, SP, com atuação em projetos de pesquisa e de consultoria relacionados à limnologia, qualidade da água, monitoramento e controle de macrófitas aquáticas e emissão de gases de efeito estufa em rios, lagoas e reservatórios. É Consultor Sênior e Responsável Técnico da Empresa Acquaecology Consultoria Ambiental, com registro no CRBio-01 desde 2010. Tem experiência na área de Ecologia com ênfase em ambientes de água doce e ambientes marinhos costeiros atuando, principalmente, nos seguintes temas: limnologia, ciclos biogeoquímicos, eutrofização, desnitrificação, emissão de gases de efeito estufa, monitoramento da qualidade da água, do sedimento, da biota aquática e das macrófitas aquáticas em sistemas aquáticos continentais.

ELÂINE ARANTES JARDIM MARTINS
Graduada em Química Industrial, Faculdades Oswaldo Cruz (1984), mestrado em Química (Química Analítica 1991) e doutorado em Tecnologia Nuclear Materiais (Síntese 2002), ambos pelo Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares, cuja pós-graduação é ligada à Universidade de São Paulo. Atualmente, é tecnologista sênior da Comissão Nacional de Energia Nuclear. Tem experiência na área de Química, com ênfase em Análise de Traços e Química Ambiental atuando, principalmente, nos seguintes temas: química analítica e meio ambiente.

ELAINE C. RODRIGUES BARTOZEK
Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (2005). Especialista em Análise Ambiental pela Faculdade Anglo-Americana (2007). Realizou mestrado em Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (2012) e doutorado pelo programa de pós-graduação em Ciências Biológicas (Biologia Vegetal) pela Universidade Estadual Paulista, Rio Claro (2017). Tem experiência em ecologia de ambientes aquáticos continentais e botânica criptogâmica, com ênfase em taxonomia e ecologia de diatomáceas.

ELAINE MALOSSO
Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de São Carlos (1994), mestrado em Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Federal de São Carlos (1999) e doutorado (PhD) em Microbial Molecular Ecology pela University of Newcastle upon Tyne (2003). Foi bolsista Prodoc/Capes do Programa de Pós-Graduação em Biologia de Fungos da UFPE de 2005 a 2006. Atualmente, é professora da Universidade Federal de Pernambuco e membro do Corpo Docente do Programa de Pós-Graduação em Biologia de Fungos. Tem experiência na área de Microbiologia, com ênfase em Micologia atuando, principalmente, nos seguintes temas: diversidade, decomposição, análises moleculares e filogenéticas, solos, águas doces, fungos micorrízicos arbusculares e hifomicetos de folhedo.

FABRÍCIO BAU DALMAS
Graduado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Santa Maria (2001-2004), Mestre em Ciências na área Recursos Minerais e Meio Ambiente, pelo Instituto de Geociências da Universidade de São Paulo (2008) e Doutor pelo Instituto de Geociências da Universidade de São Paulo, sob o projeto relacionado à gestão territorial, criação de cenários futuros que envolvam uso e cobertura do solo e áreas de desastres naturais (2013). Desenvolveu parte do doutorado no Departamento de Geografia Física e Análises Geográficas Regionais da Universidade de Sevill, Espanha. Atuou nos projetos de Sistema de Informações do Vale do Ribeira e Litoral Sul (2006-2013). Atualmente, faz parte do quadro de docentes do Programa de Mestrado em Análise Geoambiental da Universidade Guarulhos. Atua como Coordenador de Pesquisa e Vice-coordenador no Mestrado em Análise Geoambiental da Universidade Guarulhos. Membro do Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente no Município de Guarulhos. Consultor do Conselho Estadual de Educação de São Paulo.

FERNANDA RIOS JACINAVICIUS
Graduada em Ciências Biológicas pelo Centro Universitário Fundação Santo André (2007), mestrado (2010) e doutorado (2015) pelo Instituto de Botânica, São Paulo, pelo Programa de Pós-Graduação Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente, Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. Tem experiência na área de Botânica, com ênfase em cultura de Cianobactérias atuando, principalmente, nos seguintes temas: cultivo e ecofisiologia de cianobactérias e estudo químico das cianotoxinas por meio de análise proteômica e HPLC. Possui experiência e prática docente, atuando como monitora durante a graduação em Botânica II e professora de Botânica, genética e ecologia no Cursinho preparatório EEPAM-CEEPAM.

GISELE CAROLINA MARQUARDT
Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná (2008) e especialização em Educação e Gestão Ambiental, mestrado (2012) e doutorado (2017) pelo programa de Pós-Graduação em Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente do Instituto de Botânica, Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. Atua na área de Botânica, com ênfase em Limnologia e Taxonomia atuando, principalmente, nos seguintes temas: ecologia de ecossistemas aquáticos continentais, eutrofização, limnologia de reservatórios, biodiversidade, taxonomia e ecologia de diatomáceas.

HELENA MIHO SHIHOMATSU
Graduada em Engenharia Química pela Escola Superior de Química Oswaldo Cruz (1979), mestrado (1987) e doutorado (2015) em Tecnologia Nuclear pelo Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares vinculado a Universidade de São Paulo. Atualmente, é tecnologista da Comissão Nacional de Energia Nuclear, Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares, São Paulo. Experiência na área de Química Analítica e Ambiental atuando, principalmente, em análises de traço por: HPLC, diluição isotópica por espectrometria de massa, FIA-CV-AAS e LC-MS/MS.

HELIO AKIRA FURUSAWA
Graduado em Química pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (1987), mestrado em Reatores Nucleares de Potência e Tecnologia do Combustível Nuclear pelo Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (1993) e doutorado em Química Analítica pela Universidade de São Paulo (1999). Atualmente, é tecnologista da Comissão Nacional de Energia Nuclear. Tem experiência na área de Química, com ênfase em Análise de Traços (inorgânicos), Química Ambiental e Gerenciamento e Tratamento de Resíduos de Laboratório Químico, aplicação de ferramentas estatísticas para validação de análise química, incluindo estimativa da incerteza do processo. Atua, principalmente, nos seguintes temas: meio ambiente, água, ICPOES, AAS, aplicação de ferramentas estatísticas e tratamento de resíduos de laboratório químico. Na formação de recursos humanos, tem experiência em aulas nos níveis graduação, pós-graduação, especialização e treinamento de pessoal, além de atuar como orientador e co-orientador de alunos de graduação e pós-graduação. Atua também no programa do Sistema da Qualidade do IPEN (Auditor interno das normas ABNT ISO/IEC 17025 e ABNT ISO 9001).

IRACEMA HELENA SCHOENLEIN-CRUSIUS
Licenciatura em Ciências Biológicas pelo Centro Universitário Hermínio Ometto (1983), mestrado (1987) e doutorado (1993) em Ciências Biológicas (Biologia Vegetal) pela Universidade Estadual Paulista, Rio Claro. É Pesquisadora Científica no Instituto de Botânica, São Paulo. Na Sociedade Botânica de São Paulo foi Editora da área de Criptógamas e Fungos na Revista Brasileira de Botânica e é, atualmente, presidente desta sociedade. Foi Editora de área das revistas Hoehnea e Acta Botanica Brasilica. É Conselheira Titular no Conselho Regional de Biologia, CRBio-01, atuando no Comitê de Ética. Tem experiência na área de Microbiologia, com ênfase em Micologia atuando, principalmente, nos seguintes temas: biodiversidade, Hyphomycetes aquáticos, sistemática e ecologia de fungos aquáticos e terrestres, metais pesados e influências antrópicas sobre a diversidade de fungos.

JOSÉ GALIZIA TUNDISI
Graduado em História Natural pela Universidade de São Paulo (1962), mestrado em Oceanografia na University of Southampton, Reino Unido (1966) e doutorado em Ciências Biológicas (Botânica) pela Universidade de São Paulo (1969). Atualmente, é professor titular aposentado da Universidade de São Paulo e atua na pós-graduação da Universidade Federal de São Carlos orientando mestres e doutores. É presidente da Associação Instituto Internacional de Ecologia e Gerenciamento Ambiental (IIEGA) e pesquisador do Instituto Internacional de Ecologia (IIE). É professor convidado do Instituto de Estudos Avançados da USP. É professor titular da Universidade Feevale (Novo Hamburgo, RS) atuando no curso de pós-graduação em Qualidade Ambiental. É Membro Titular da Academia Brasileira de Ciências e do “staff” do Ecology Institute-Excellence in Ecology, Alemanha. É especialista em Ecologia, Limnologia com ênfase em Gerenciamento Recuperação de Ecossistemas Aquáticos. Atuou como consultor em 40 países nas áreas de Limnologia, gerenciamento de recursos hídricos, recuperação de lagos e reservatórios e planejamento e otimização de usos múltiplos de represas. Atualmente, dirige programa internacional mundial de formação de gestores de recursos hídricos para o IAP (InterAcademy Pannel, que representa 100 Academias de Ciências). É consultor de vários Projetos de Gestão de Recursos Hídricos a cargo do Instituto Internacional de Ecologia e de Gerenciamento Ambiental. Foi presidente do CNPq (1995-1999) e assessor do Ministro de Ciência e Tecnologia Ronaldo Sandenberg (1999-2001). Foi presidente do Programa Institutos do Milênio do Ministério de Ciência e Tecnologia. Em 1999, fundou a Secretaria Municipal de Ciência e Tecnologia e Desenvolvimento Econômico em São Carlos. Desde 2001 é Presidente da Associação da Revista Brasileira de Biologia.

JOYCE RODRIGUES MARQUES
Graduada em Química Industrial pelas Faculdades Oswaldo Cruz (2012), Mestre em Tecnologia Nuclear (Materiais) pelo Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares, Universidade de São Paulo. Atualmente, é Analista Químico do Centro de Espectrometria de Massas Aplicada. Tem experiência na área de Química, com ênfase em Química Analítica atuando, principalmente, nos seguintes temas: validação de metodologias analíticas, qualidade em análises laboratoriais, análises ambientais e metrologia química.

JULIANA AMORIM DA COSTA
Graduada em Gestão Ambiental (2008) pela Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo e Mestre em Ciências pela mesma instituição. Atualmente, é Especialista Ambiental II e trabalha no Centro de Integração e Gerenciamento de Informações da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. Tem experiência na área de Meio Ambiente, Geoprocessamento/Sensoriamento Remoto e Planejamento Ambiental.

JULIANA IKEBE OTOMO
Graduada em Engenharia Ambiental, Faculdades Oswaldo Cruz (2007), mestrado (2010) e doutorado (2015) em Ciências na área de tecnologia nuclear (Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares) com enfoque em Análise de Traços e Química Ambiental. Atualmente, é professora na Universidade Nove de Julho. Atua, principalmente, nos seguintes temas: tratamento de águas, interferentes endócrinos, pesticidas, águas de reservatórios de abastecimento público, descarte de ETA (Estações de Tratamento de Água), cromatografia líquida e gasosa com detecção por espectrometria de massas.

LUCIANE FONTANA
Graduada em Ciências Biológicas com Bacharelado e Licenciatura Plena (2001-2005), possui mestrado (2006) em Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente pelo Instituto de Botânica, São Paulo e doutorado (2008) em Ciências Biológicas (Botânica) pela Universidade Estadual Paulista, Rio Claro. Atualmente, é Pós-doutoranda na Universidade Federal Fluminense (2014-atual). Tem experiência em Biodiversidade e Taxonomia de algas, Paleolimnologia e Paleoceanografia atuando, principalmente, nos seguintes temas: ecologia de ecossistemas aquáticos continentais, biodiversidade e geoquímica ambiental.

LUCILENA REBELO MONTEIRO
Graduada em Engenharia Química pela Universidade Federal do Pará (1995), Mestre em Tecnologia Nuclear pela Universidade de São Paulo (2000). Tem experiência na área de Química Analítica, com ênfase em Análise de Traços e Química Ambiental atuando, principalmente, nos seguintes temas: cromatografia líquida de alta eficiência e iônica (CLAE e CI), Absorção Atômica e ICP-MS, com experiência na avaliação de ensaios de proficiência.

MAINARA GENEROSO FAUSTINO
Graduada em Química Industrial (2012) pelas Faculdades Oswaldo Cruz, Mestre pelo Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares, Universidade de São Paulo, com o tema Desenvolvimento e validação de metodologia para determinação de metais em amostras de água por espectrometria de emissão óptica com plasma de Argônio. Experiência na área de avaliação de metais em água e sedimento de mananciais da RMSP com vista ao gerenciamento do abastecimento.

MARCELO CÔRREA BERNARDES
Graduado em Ciências Biológicas pela Universidade Santa Úrsula (1991), mestrado em Geociências (1995) e doutorado (2000) em Ciências (Energia Nuclear na Agricultura) pela Universidade de São Paulo e pós-doutorado na University of Whashington, E.U.A. Atualmente, é Professor da Universidade Federal Fluminense e Professor Associado do Programa de Pós-Graduação em Geoquímica Ambiental da Universidade Federal Fluminense. Tem experiência na área de ecologia de ecossistemas aquáticos continentais e na interface continente-oceano de regiões tropicais e na Antártica. Trabalha com compostos orgânicos e contaminantes em águas e sedimentos relacionados a impactos antropogênicos e mudanças climáticas.

MARCIO ROBERTO MAGALHÃES DE ANDRADE
Graduado em Geologia, bacharelado (1990) e licenciatura (2005) pelo Instituto de Geociências da Universidade de São Paulo, mestrado (2000) e doutorado (2009) em Geografia pela Faculdade de Filosofia Letras Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. Pesquisador da Área de Geodinâmica do Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais, do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação.

MÁRCIO ROSSI
Graduado em Engenharia Agronômica pela Universidade Estadual Paulista, Rio Claro (1983) e doutorado em Geografia (Geografia Física-Pedologia) pela Universidade de São Paulo (1999). Atuou como Pesquisador Científico do Instituto Agronômico de Campinas (1994-2003) e Diretor de Pesquisa do Instituto Florestal (2005-2007). Atualmente, pesquisador do Instituto Florestal. Participa como pesquisador colaborador da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios, Instituto Agronômico de Campinas e Universidade Guarulhos. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Gênese, Morfologia e Classificação dos Solos atuando, principalmente, nos seguintes temas: pedologia, planejamento de áreas naturais, levantamento e mapeamento do meio biofísico.

MARIA APARECIDA FAUSTINO PIRES
Graduada em Química pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Osvaldo Cruz, Mestrado em Ciências-Tecnologia Nuclear área de Materiais pelo Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares, Universidade de São Paulo e doutorado em Química Analítica pela Universidade de São Paulo (1989). Atualmente, é pesquisador adjunto do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares e Gerente adjunto do Centro de Química e Meio Ambiente. Gerente do Centro de Química e Meio Ambiente do IPEN de 2008-2013. Responsável pelo programa de caracterização química do combustível nuclear e pelas ações de gerenciamento ambiental no campus do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares. Tem experiência na área de tecnologia nuclear, caracterização química de compostos do ciclo social do combustível nuclear, química e meio ambiente, desenvolvendo atividades nos temas: avaliação ambiental, qualidade da água, análise de micropoluentes, avaliação de risco, análise de metais e substâncias tóxicas, gerenciamento ambiental, qualificação química do combustível nuclear. Atua como coordenador de projetos de pesquisa e desenvolvimento tecnológico na área ambiental e nuclear em parceria com o setor de saneamento e empresas inovadoras incubadas como Conselheira do Instituto Brasileiro da Qualidade Nuclear. Membro do Núcleo de Assessores em Tecnologia e Inovação do CNPq 2011.

MARIA DO CARMO CARVALHO
Graduada em Ciências Biológicas pelo Instituto Presbiteriano Mackenzie (1985) e doutorado em Saúde Ambiental pela Universidade de São Paulo (Faculdade de Saúde Pública, 2003). Atualmente, é bióloga da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo e gerente do Setor de Comunidades Aquáticas. Atua, principalmente, nos seguintes temas: fitoplâncton, cianobactérias, limnologia, biomonitoramento de ecossistemas aquáticos e indicadores biológicos.

MARTA CONDÉ LAMPARELLI
Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo (1983), mestrado em Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Federal de São Carlos (1989) e doutorado em Ecologia pela Universidade de São Paulo (2004). Atualmente, é bióloga da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo, onde exerce a gerência da Divisão de Análises Hidrobiológicas. Tem experiência na área de Ecologia, com ênfase em Limnologia atuando, principalmente, nos seguintes temas: contaminação de ecossistemas aquáticos e biomonitoramento. E-mail: mlamparelli@sp.gov.br

MARYCEL ELENA BARBOZA COTRIM
Mestrado em Tecnologia Nuclear pelo Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (1991) e doutorado em Tecnologia Nuclear pelo Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (2006). Atualmente, é pesquisador da Comissão Nacional de Energia Nuclear. Experiência em química analítica atuando, principalmente, nos seguintes temas: avaliação ambiental, metais, química ambiental, qualidade da água e química analítica, caracterização de compostos de urânio e química analítica instrumental.

PRYSCILLA DENISE ALMEIDA
Bacharelado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Pará (2006), mestrado (2012) e doutorado (2017) pelo programa de Pós-Graduação em Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente do Instituto de Botânica, Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. Atualmente, é pesquisadora bolsista do Museu Paraense Emílio Goeldi. Tem experiência na área de Botânica, com ênfase em Taxonomia de Criptógamos atuando, principalmente, nos seguintes temas: diatomáceas, ecologia, taxonomia, estuário e microfitoplâncton.

RICARDO DE ARAÚJO
Graduado em Ciências Sociais, Mestrado em Ciência Política pela Universidade de São Paulo. Na Sabesp, coordenador de programa de abastecimento de água em favelas e assessor da Diretoria Metropolitana. No Governo Federal, coordenador adjunto da equipe de concepção e preparação técnica do Projeto de Modernização do Setor de Saneamento. Na Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos, coordenador adjunto do Programa Guarapiranga; coordenador de saneamento; coordenador dos Programas Mananciais e Reágua, financiados pelo Banco Mundial.

SANDRA COSTA-BÖDDEKER
Doutorado Direto pelo programa de Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente do Instituto de Botânica, Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo (2008). Doutorado-sanduíche no Environmental Change Research Centre, University College London, Reino Unido. Atualmente, trabalha como pesquisadora no Institüt für Geosysteme und Bioindikation (Technische Universität Braunschweig), Alemanha. Tem experiência na área de Ecologia, com ênfase em paleoecologia / paleolimnologia atuando, principalmente, nos seguintes temas: diatomáceas em sedimentos, ostrácodes, biogeoquímica, reconstrução de paleoambientes, impactos antrópicos, estressores múltiplos, metais, nutrientes em lagos e em ambientes estuarinos. A partir de 2011, a pesquisadora passou a assinar como Sandra Costa-Böddeker (sobrenome anterior Vieira Costa).

STÉFANO ZORZAL DE ALMEIDA
Graduado em Tecnologia em Saneamento Ambiental pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (2009), graduação em Ciências Biológicas (Bacharelado) pela Universidade Federal do Espírito Santo (2011), graduação em Ciências Biológicas (Licenciatura) pela Universidade Federal do Espírito Santo (2008), mestrado em Biologia Vegetal pela Universidade Federal do Espírito Santo (2011) e doutorado em Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente pelo Instituto de Botânica, Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo (2016). Tem experiência na área de Ecologia, com ênfase em Ecologia Aquática atuando, principalmente, nos seguintes temas: ecologia de diatomáceas, fitoplâncton e perifiton, qualidade da água, metacomunidades e impacto antropogênico. Atualmente, é professor do Centro Universitário Católica de Vitória e atua como consultor técnico em análises de fitoplâncton e perifiton.

TAKAKO MATSUMURA-TUNDISI
Graduada em História Natural pela Universidade de São Paulo (1962) e doutorado em Ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo (1972). Foi docente pesquisador da Universidade Federal de São Carlos (1971-1992), na área de Ecologia Aquática. Professora Titular da cadeira de Ecologia desde 1978, onde se aposentou em 1992, porém, continua credenciada no Programa de Pós-graduação em Ecologia e Recursos Naturais da Universidade Federal de São Carlos, orientando mestres e doutores. Atualmente, é um dos dirigentes do Instituto Internacional de Ecologia e da Associação Instituto Internacional de Ecologia e Gerenciamento Ambiental que são instituições de Pesquisa e Consultoria, prestando serviços de consultoria, principalmente, no gerenciamento de recursos hídricos e bacias hidrográficas fazendo diagnóstico e prognóstico da qualidade da água dos sistemas hídricos, através de modelagens matemáticas ecológicas. É Editora-chefe do Brazilian Journal of Biology. Exerce papel de Responsável Técnica pela Empresa Matsu-Aquatech Assessoria e Consultoria Ltda, emitido pelo Conselho Regional de Biologia (CRBio-01). Atualmente, participa como responsável do Plano Básico Ambiental no setor de Limnologia e Qualidade da Água do empreendimento da Usina Hidrelétrica de Belo Monte (PA).

TATIANE ARAÚJO DE JESUS
Graduada em Tecnologia da Construção Civil, na modalidade Obras Hidráulicas, pela Faculdade de Tecnologia de São Paulo e Doutorado Direto em Engenharia Hidráulica e Saneamento pela Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, abordando a reconstrução de impactos antropogênicos em bacia de drenagem urbana com base nos estoques de nutrientes, metais pesados e compostos orgânicos persistentes em sedimentos lacustres. Realizou pós-doutorado na Comissão Nacional de Energia Nuclear. Atualmente, é professora da Universidade Federal do ABC, Centro de Engenharia, Modelagem e Ciências Sociais Aplicadas, e credenciada como docente em programa de pós-graduação na Universidade Federal do ABC. Desenvolve pesquisas sobre tecnologias verdes e de baixo custo para o tratamento de águas e efluentes.

WATSON ARANTES GAMA JÚNIOR
Graduado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Goiás (2009), mestrado (2012) e doutorado (2017) pelo programa de Pós-Graduação em Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente do Instituto de Botânica, Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. Atua na linha de pesquisa em taxonomia e sistemática de cianobactérias por meio de uma abordagem polifásica, que inclui isolamento em cultivo, estudo morfológico, molecular, de ultraestrutura e ecologia desses organismos. Possui também experiência na prospecção de bioativos de cianobactérias, como substâncias antioxidantes e antifúngicas e compostos com ação anti-UV. Para esta última atividade, realizou estágio de aperfeiçoamento na Arizona State University, E.U.A. Além disso, tem experiência em projetos e relatórios ambientais, tendo trabalhado diretamente na elaboração e redação desses.

WILLIAM DE QUEIROZ
Graduado em Geografia (2003), Pós-graduado em Gestão Ambiental (2005) e Mestrado em Análise Geoambiental (2014) pela Universidade Guarulhos. Pós-Graduação em Formação de Professores de Geografia (2013) pela Universidade Estadual Paulista. Atualmente, é Técnico do Laboratório de Geoprocessamento da mesma instituição atuando, principalmente, nos seguintes temas: geoprocessamento, mapeamentos digitais e mapas temáticos. Professor de Geografia pela Secretaria de Educação do Estado de São Paulo.