Capa do livro: EDUCADORES BRASILEIROS:<br>ideias e ações de nomes que marcaram a educação nacional

EDUCADORES BRASILEIROS:
ideias e ações de nomes que marcaram a educação nacional

Autores: Teresa Cristina Rego (Org.)

livro impresso
de R$ 57,90 por
livro digital
de R$ 57,90 por

Disponibilidade: 2 Dia(s)
+ Prazo de Frete

 
Indique para um amigo
Insira seu CEP para calcular o frete:

Sinopse

Este livro examina a obra de vinte importantes personagens que marcaram a educação brasileira, por meio de sua produção intelectual e ou engajamento político. Alguns deles se envolveram diretamente com a educação e o ensino. Outros o fizeram de modo indireto. Todavia, todos foram suficientemente inovadores, originais e influentes e, principalmente, exerceram papel destacado no cenário educacional de sua época.
Muitos foram os que influenciaram os rumos da educação no país (saibamos ou não quem foram e o que fizeram). Com certeza, um número expressivo de outros autores poderia integrar esta lista. Embora o elenco não seja exaustivo, os nomes selecionados são referências fundamentais para a compreensão do desenvolvimento das políticas e do ideário educacional nacional.

Detalhes do produto

Editora: EDITORA CRV
ISBN:978-85-444-2381-3
DOI: 10.24824/978854442381.3
Ano de edição: 2018
Distribuidora: EDITORA CRV
Número de páginas: 270
Formato do Livro: 16x23 cm
Número da edição:1

Sumário

EDUCADORES BRASILEIROS:<br>ideias e ações de nomes que marcaram a educação nacional

Autores

ANA CHRYSTINA VENANCIO MIGNOT
Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Publicou, entre outras obras, Baú de Memórias, Bastidores de Histórias: o Legado Pioneiro de Armanda Álvaro Alberto (Edusf, 2002) e organizou a coletânea Viagens Pedagógicas (Cortez, 2007) com José Gonçalves Gondra.

ANA PAULA SOARES DA SILVA
Professora do Departamento de Psicologia da FFCLRP-USP. É pesquisadora do Centro de Investigações sobre Desenvolvimento Humano e Educação Infantil e orienta alunos de mestrado e doutorado. É membro da Diretoria da Associação Brasileira de Psicologia do Desenvolvimento − ABPD.

ANTONIO CARLOS CARUSO RONCA
Doutor em Psicologia pela PUC-SP, professor do Programa de Estudos Pós-graduados em Educação: Psicologia da Educação da PUC-SP, ex-reitor da PUC-SP e atual presidente do Conselho Nacional de Educação.

ANTÔNIO JOAQUIM SEVERINO
Bacharel em Filosofia pela Universidade Católica de Louvain, Bélgica; doutor em Filosofia pela PUC/SP; livre-docente em Filosofia da Educação, pela USP. Professor Titular de Filosofia da Educação da Faculdade de Educação da USP, ora aposentado. Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação da Uninove. Autor de, entre outros, A Filosofia Contemporânea no Brasil − Conhecimento, Política e Educação (Vozes, 1994); Educação, Sujeito e História (Olho D´Água, 2001); e Filosofia da Educação (FTD, 1996).

BRUNO BONTEMPI JR.
Doutor em Educação pela PUC-SP, com pós-doutorado em História pela UERJ, professor da Faculdade de Educação da USP e orientador do Programa de Pós-Graduação em Educação dessa mesma faculdade. Escreveu, entre outros textos, “As Reformas Pombalinas da Instrução Pública, de Laerte Ramos de Carvalho” (Clássicos da Educação Brasileira, Mazza Edições, 2010) e “A Presença Visível e Invisível de Durkheim na Historiografia da Educação Brasileira” (Pensadores Sociais e História da Educação, Autêntica, 2005).

CARLOTA BOTO
Mestre em educação pela Feusp e doutora em História Social pela fflch/usp. É professora de Filosofia da Educação na Faculdade de Educação da usp e escreveu, entre outras obras, A Escola do Homem Novo: entre o Iluminismo e a Revolução Francesa (Unesp, 1996).

CELSO DE RUI BEISIEGEL
Livre-docente e Professor Titular pela Faculdade de Educação da USP. Foi Chefe de Departamento e Diretor da Feusp, e Pró-Reitor de Graduação da USP. Entre outros trabalhos, publicou os livros Estado e Educação Popular (Pioneira 1974); Política e Educação Popular, a Teoria e a Prática de Paulo Freire no Brasil (Ática, 1982); e A Qualidade do Ensino na Escola Pública (Liber Livro, 2005).

DENICE BARBARA CATANI
Professora titular na Faculdade de Educação na Universidade de São Paulo. Publicou, entre outros trabalhos, Educadores à Meia Luz: um Estudo sobre a Revista de Ensino da Associação Beneficente do Professorado Público de São Paulo – 1902-1918  (Editora da Universidade São Francisco, 2003), e em colaboração A Vida e o Ofício dos Professores (Escrituras, 1998).

DIANA VIDAL
Professora livre-docente de História da Educação na Faculdade de Educação da USP. Desenvolve pesquisas sobre a constituição da escola primária em São Paulo, em finais do século XIX e início do XX. É autora de Culturas Escolares (Autores Associados, 2005) e de O Exercício Disciplinado do Olhar (Edusf, 2001), entre outras publicações.

DORIS ACCIOLY E SILVA
Professora doutora da Faculdade de Educação da USP. Publicou, entre outros artigos, “Jean-Paul Sartre: o Marxismo numa Leitura Libertária” (Educação e Sociedade, no 17, 1984), “Shelley, Poesia e Liberdade (VERVE, no 18, 2010); e, com Lúcia Bruno, “O Mito, o Método, a História: A Revolução Russa sob a Ótica de Maurício Tragtenberg” (Educação e Sociedade, n. 105, 2008).

FRANCISCA ELEODORA SANTOS SEVERINO
Socióloga, mestre em Antropologia, doutora em Ciências da Comunicação pela ECA/USP, docente/pesquisadora de Pós-Graduação em Educação e Interdisciplinaridade, do Centro de Pesquisa Multidisciplinar na UNIABC. É autora, entre outras obras, de Memória da Morte, Memória da Exclusão, (Santos: Leopoldianum, 2004), “A Mediação Pedagógica no Ensino de Temas Transversais” (Educação & Linguagem, 2010), e “Flexibilização do Trabalho e Complexidade da Educação” (Xamã, 2011).

FRANCISCA IZABEL PEREIRA MACIEL
Professora da Faculdade de Educação da UFMG, diretora do Ceale, e coordenadora da pesquisa: Alfabetização no Brasil: o estado do conhecimento e do Projeto de Educação (alfabetização) de Jovens e Adultos da ufmg. Organizou, com Maria Lúcia Castanheira e Raquel Márcia F. Martins, Alfabetização e Letramento em Sala de Aula (Autêntica, 2008), e com Sara Mourão e Monica Baptista, A Criança de 6 Anos, a Linguagem Escrita e o Ensino Fundamental de Nove Anos: Orientações para o Trabalho com Linguagem Escrita em Turmas de Crianças de Seis Anos (UFMG/FAE/Ceale, 2009).

GABRIELA CAMPOS DARAHEM
Pedagoga e atuou como professora de educação infantil. Pesquisa história da educação infantil em seu projeto de mestrado desenvolvido junto à FFCLRP-USP.

JULIANA CESÁRIO HAMDAN
Doutora em História da Educação pela UFMG (Faculdade de Educação) e professora de História e Filosofia da Educação pela Ufop. Sua tese de doutoramento foi sobre a trajetória profissional e intelectual de Firmino Costa. Organizou, entre outras obras, o volume dois de Clássicos da Educação Brasileira (Mazza Editora, 2011).

LIBANIA XAVIER
Professora associada do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFRJ. Realizou o pós-doutorado na Universidade de Lisboa (2008) e o doutorado na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1999). É autora dos livros Para além do Campo Educacional: um Estudo sobre o Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova (Edusf, 2002) e O Brasil como Laboratório: Educação e Ciências Sociais no Projeto do CBPE-Inep/MEC (Edusf, 1999), e organizadora das seguintes coletâneas: Impressos e História da Educação: Usos e Destinos, em parceria com Ana Magaldi (Sette Letras, 2008) e Por uma Política de Formação do Magistério Nacional: o Inep/MEC dos anos 1950-60, em parceria com Ana Waleska Mendonça (Inep/MEC, 2008).

LÚCIA BRUNO
Livre-docente da Faculdade de Educação da USP. Escreveu, entre outras obras, O Que É Autonomia Operária (Brasiliense, 1984); “Educação, Qualificação e Desenvolvimento Econômico” (Trabalho e Educação no Capitalismo Contemporâneo, Atlas, 1996) e “Poder Político e Sociedade: Qual Sujeito, Qual Objeto?” (Crise da Escola e Políticas Educativas, Autêntica, 2009).

LUCIANO MENDES DE FARIA FILHO
Doutor em Educação pela USP e professor de História da Educação na UFMG. Bolsista do CNPq e da Fapemig – Programa Pesquisador Mineiro. Organizou, entre outras obras, Pensadores Sociais e Educação (Autêntica, 2008).

MARCIA GOBBI
Doutora em Educação e Cultura pela Unicamp e professora da Faculdade de Educação da USP. Publicou, entre outras obras, “O Desenho da Criança Pequena: Distintas Abordagens na Produção Acadêmica em Diálogo com a Educação” (em Ata e Desata. Partilhando uma Experiência de Formação Continuada. Ravil, 2002); “Mário de Andrade e os Desenhos das Crianças Pequenas: Olhares de Turista Aprendiz” (em Desigualdade Social e Diversidade Cultural na Infância e na Juventude (Cortez, 2002).

MARCOS CEZAR DE FREITAS
Professor livre-docente do Departamento de Educação da Universidade Federal de São Paulo. É pesquisador do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Autor de, entre outros, História Social da Educação no Brasil (1926-1996), com Maurilane Souza Biccas (Cortez, 2009); Alunos Rústicos, Arcaicos e Primitivos (Cortez, 2005).

MARIA ARMINDA DO NASCIMENTO ARRUDA
Professora titular do Departamento de Sociologia da FFLCH-USP. Escreveu, entre outras obras, Metrópole Cultura. São Paulo no Meio Século XX (Edusc, 2001), O Imaginário Mineiro na Vida Política e Cultural do Brasil (Brasiliense, 1990) e Florestan Fernandes – Mestre da Sociologia Moderna (Paralelo 15, 2003).

MENGA LÜDKE
Professora titular da PUC-Rio e da UCP, com doutorado em Sociologia pela Universidade de Paris X e licenciatura em Filosofia pela USP. Escreveu, entre outras obras, Pesquisa em Educação: Abordagens Qualitativas, com Marli André (EPU, 1986), O Professor e a Pesquisa (Papirus, 2001), O Que Conta como Pesquisa (Cortez, 2009); e Aparecida Joly Gouveia (Massangana/MEC, 2010).

MITSUKO APARECIDA MAKINO ANTUNES
Mestre em Filosofia da Educação e doutora em Psicologia Social pela PUC-SP; professora do Programa de Estudos Pós-graduados em Educação: Psicologia da Educação da PUC-SP; pesquisadora em História da Psicologia da Educação no Brasil. Publicou A Psicologia no Brasil: Leitura Histórica sobre sua Constituição (EDUC, 2007); organizou a publicação do original de 1923 de Pensar e Dizer: Estudo do Símbolo no Pensamento e na Linguagem, de Manoel Bomfim (Conselho Federal de Psicologia e Casa do Psicólogo, 2006); organizou a coletânea História da Psicologia no Brasil: Primeiros Ensaios (Eduerj, 2004), entre outras publicações.

NINA ROSA DO AMARAL COSTA
Mestre em Educação pela Unicamp, doutora e pós-doutora pela USP em Psicologia, com ênfase em Psicologia do Desenvolvimento. É pesquisadora do Cindedi sobre o acolhimento de crianças privadas dos cuidados parentais.

NIVIA GORDO
Doutoranda na Feusp/SP; mestre em educação – Feusp/SP; pós-graduada em Comunicação e Semiótica – PUC/SP; licenciada em Letras e Pedagogia – USP/SP. É autora de “Projetos de Alfabetização” e de “Atividades da Escola de Aplicação no Período de 1976 a 1981” (Revista da Faculdade de Educação, USP, 1976 e 1997), entre várias publicações na área da alfabetização.

TERESA CRISTINA REGO
Professora Livre Docente da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo - USP, Doutora em Educação pela USP, pós-Doutora pela Universidad Autónoma de Madrid, e pela Sorbonne- Université Paris Descartes.  É também bolsista Produtividade em Pesquisa do CNPQ (desde 2009). É autora e organizadora de várias publicações, dentre elas, Vygotsky: uma perspectiva histórico-cultural da educação (Vozes, 2014, 25a. edição), Memórias de escola: cultura escolar e constituição de singularidades (Vozes, 2003), Psicologia, Educação e as temáticas da vida cotidiana (Moderna, 2008, 3a. edição), Coleção Pedagogia Contemporânea (Vozes e Segmento, 2011), da Série Educadores Brasileiros (Segmento 2011) e da Coleção História da Pedagogia (2012).

ZAIA BRANDÃO
Doutora em Educação e professora titular da PUC/RJ. Escreveu, entre outras obras, A Intelligentsia Educacional. Um Percurso com Paschoal Lemme por entre as Memórias e Histórias da Escola Nova no Brasil (Edusf, 1999) e Por Que Não Lemos Anísio Teixeira? Uma Tradição Esquecida (Forma & Ação, 2008).