Capa do livro: PALAVRA DE PAPEL <br>Coleção Crônicas para encantar o cotidiano <br>Volume 1

PALAVRA DE PAPEL
Coleção Crônicas para encantar o cotidiano
Volume 1

Autores: Gláucia Lilian Portela Nunes

livro impresso
de R$ 25,50 por
livro digital
de R$ 25,50 por

Disponibilidade: 2 Dia(s)
+ Prazo de Frete

 
Indique para um amigo
Insira seu CEP para calcular o frete:

Sinopse

Comecei a registrar as minhas ideias em qualquer lugar aonde elas chegavam: folhas soltas, tablet, no meio de um livro, fundo do caderno, mensagens para mim mesma no e-mail e no celular, até na porta da geladeira já escrevi sobre um pensamento... Mesmo soltos, aparentemente sem sentido, eles são o tema preferido, a angústia de uma vida, um segredo, um incômodo, a voz indisciplinada, aflita, que apressada dita, assim, sem nem perguntar, se posso escrever naquele momento. E eu, que não sou obediente, obedeço, pois tenho medo que eles não voltem quando eu precisar... Se eu pudesse, esses pensamentos não morreriam, mesmo diante das possíveis mortes aos quais eu (in)voluntariamente os submeterei... Por isso escrevo, conto, canto, que é para eles pegarem em algum lugar e assim, de canto em canto, de gente em gente, seguirem realizando a sua vocação de dizer.

Detalhes do produto

Editora: EDITORA CRV
ISBN:978-85-444-3202-0
DOI: 10.24824/978854443202.0
Ano de edição: 2019
Distribuidora: EDITORA CRV
Número de páginas: 84
Formato do Livro: 14x21 cm
Número da edição:1

Sumário

PALAVRA DE PAPEL <br>Coleção Crônicas para encantar o cotidiano <br>Volume 1

Autores

GLAUCIA LILIAN PORTELA NUNES
Nascida em Entroncamento de Jaguaquara, um pequeno distrito no interior da Bahia, é filha do meio de Everaldo Nunes, militar e professor e Zenaide Portela, professora e a melhor cozinheira do mundo. Atua como professora há 34 anos, é casada com Nilton e mãe de Netto, Lucas e Glenda. Graduada em Pedagogia e Mestre em Educação pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), fez complementação pedagógica em História pela PUC-Rio. Se interessa por temas ligados à educação, juventude, Filosofia, História e culinária. Escreve desde pequena, textos ditados pelo pai e acredita que desse modo aprendeu a perceber o desenho da coerência, coesão e sentidos do dizer. Pensou que poderia escrever poesias, mas sentiu-se frustrada pela negativa de um professor ante sua pretensão. Impedida de ministrar aulas por um problema de saúde, foi desafiada a assumir a coordenação da uma escola e desse lugar, resolveu enviar textos de reflexão, boas vindas e felicitações aos professores de sua equipe. Assim descobriu que escrevia crônicas e motivada pelos "colegas leitores", organizou essa coletânea que intitulou "Palavra de Papel".