Capa do livro: CONTRACULTURA NO BRASIL, ANOS 70: <br> circulação, espaços e sociabilidades

CONTRACULTURA NO BRASIL, ANOS 70:
circulação, espaços e sociabilidades

Autores: Leon Kaminski (Org.)

livro impresso
de R$ 61,50 por
livro digital
de R$ 61,50 por

Disponibilidade: 2 Dia(s)
+ Prazo de Frete

 
Indique para um amigo
Insira seu CEP para calcular o frete:

Sinopse

Contracultura no Brasil, anos 70: circulação, espaços e sociabilidades reúne parte da produção acadêmica recente sobre as variadas manifestações da contracultura no Brasil. Partindo de distintas abordagens teórico-metodológicas, algumas dessas pesquisas tem deslocado seus olhares para compreender as diferentes experiências sociais e culturais que emergiram entre os jovens a partir do final da década de 1960, em pleno regime ditatorial. Trabalhos que procuram fugir do lugar comum e se aprofundam em temáticas pouco ou nada investigadas, no levantamento de fontes inéditas e na diversidade regional. Os textos aqui coligidos buscam analisar experiências coletivas ligadas à contracultura durante os anos 1970, focando suas manifestações em distintos locais do país, seus espaços de sociabilidade e as formas de circulação de seu imaginário.

Detalhes do produto

Editora: EDITORA CRV
ISBN:978-85-444-3212-9
DOI: 10.24824/978854443212.9
Ano de edição: 2019
Distribuidora: EDITORA CRV
Número de páginas: 234
Formato do Livro: 16x23 cm
Número da edição:1

Sumário

CONTRACULTURA NO BRASIL, ANOS 70: <br> circulação, espaços e sociabilidades

Autores

ALEXANDRA LIS ALVIM
É licenciada em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e mestra em História Cultural pela Universidade Federal de Santa Catarina desde 2016, com uma dissertação sobre contracultura, cidade e imagem em dois longas-metragens de Super-8 produzidos em Porto Alegre nos anos finais da ditadura militar. Desde de 2018 é doutoranda da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, atuando principalmente nos seguintes temas: história urbana e períodos ditatoriais, história e imagem.

CHRISTOPHER DUNN
Fez seu doutorado na Brown University e é Professor da Tulane University em New Orleans, onde leciona no Departamento de Espanhol e Português e no Programa de Estudos Africanos. É autor de Brutality Garden: Tropicália and the Emergence of a Brazilian Counterculture (2001) e Contracultura: Alternative Arts and Social Transformation in Authoritarian Brazil (2016), ambos publicados pela University of North Carolina Press. Em 2009, a editora da UNESP publicou a tradução do primeiro livro.

EDWAR DE ALENCAR CASTELO BRANCO
É professor do Departamento de História e do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Piauí. Doutor em História (UFPE) e mestre em Educação (UFPI), atuou como pesquisador visitante no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, onde desenvolveu estudos sobre arte experimental. Lidera o GT História, Cultura e Subjetividade (DGP/CNPq). Publica regularmente livros, capítulos e artigos, nos quais enfatiza temas tais como História, Brasil, Cultura Urbana, Cinema, Música, Literatura, Identidade, Juventude e Pós-modernidade.

FÁBIO LEONARDO CASTELO BRANCO BRITO
É doutor em História Social pela Universidade Federal do Ceará e professor da Universidade Federal do Piauí, atuando como docente de graduação e também como professor permanente do Programa de Pós-Graduação em História do Brasil. É co-líder do GT “História, Cultura e Subjetividade” (DGP/CNPq). Tem como principais interesses de pesquisa a História do Brasil Contemporâneo e a Teoria e Filosofia da História, especificamente em campos como artes, cultura, subjetividades e filosofia da diferença.

IGOR FERNANDES PINHEIRO
É mestre em História Social pela Universidade Federal Fluminense com a dissertação Não fale com paredes: contracultura e psicodelia no Brasil. Concluiu a graduação em História pela Universidade Federal Fluminense com a monografia É isso aí bicho! contracultura e psicodelia no Brasil, publicada com o mesmo nome pela Editora Multifoco. É professor da rede estadual do Rio de Janeiro e da prefeitura de Teresópolis.

JOÃO CARLOS DE OLIVEIRA LUNA
É licenciado em História pela Universidade Federal de Campina Grande (2007) e mestre em História pela Universidade Federal de Pernambuco (2010) na área de concentração: História do Norte e Nordeste do Brasil. Leciona na rede particular de ensino, dando ênfase aos conhecimentos teóricos problematizados pelas ciências humanas. Tem experiência no ensino de história e estabelece interdisciplinaridade com temas relacionados à História Cultural, Cultura Brasileira, Fontes Históricas e Teoria da História.

LEON ADAN GUTIERREZ DE CARVALHO
Possui graduação em História pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (2009), Especialização em História do Brasil pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Caruaru (2014) e mestrado em História Social da Cultura Regional pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (2017). Atualmente é doutorando em História pela Universidade Federal do Paraná. Tem experiência na área de História, atuando principalmente nos seguintes temas: História Contemporânea, História Cultural, História das Religiões, Teoria da História, História do movimento Hare Krishna e Hinduísmo. É pesquisador do Laboratório de Estudos de História das Religiões (LEHR - UPE) e autor do livro Hare Krishna: das origens do movimento à chegada e expansão no Brasil (Terceira Via, 2018).

LEON KAMINSKI
É doutor em História pela Universidade Federal Fluminense. Possui mestrado e bacharelado em História pela Universidade Federal de Ouro Preto e graduação em Educação Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Atualmente leciona no Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal de São João del-Rei. 

ORIVALDO BIAGI LEME
Tem bacharelado em Direito pela Universidade São Francisco, bacharelado e licenciatura em História pela UNICAMP, mestrado e doutorado em História pela UNICAMP e pós-doutorado em Relações Públicas pela USP. Também é professor e coordenador do curso de Direito da UNIFAAT e editor da revista Momentum, da UNIFAAT. É autor dos livros: O Imaginário e as Guerras da Imprensa e Paz, Amor e Publicidade no Brasil.

ROBERTO MARQUES
É professor do Programa de Pós-graduação em Sociologia da Universidade Estadual do Ceará e do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Regional do Cariri. É doutor em Antropologia Cultural pela UFRJ (2011), tendo realizado estágio pós-doutoral junto ao Núcleo de Experimentações em Etnografia e Imagem, da UFRJ (2016) e ao Núcleo de Estudos de Gênero PAGU, da UNICAMP (2018). Tem pesquisado sobre Festas; Narrativas e performances; Criatividade; Memória Social; Nordeste; Contracultura; Gênero e sexualidade. É autor dos livros: Cariri eletrônico: paisagens sonoras no Nordeste (2015); Objetos não-identificados: deslocamentos e margens na produção musical do Brasil (2014) e Contracultura, Tradição e Oralidade: (re)inventando o sertão nordestino na década de 70 (2004).

TIAGO BORGES DOS SANTOS
É mestre em História Cultural pela Universidade de Brasília. Graduado em História com habilitação em Bacharelado e Licenciatura também pela UnB. Atua como Técnico em Educação no Instituto Federal de Brasília.