Capa do livro: INFINITO E ESCRITA EXPERIMENTAL

INFINITO E ESCRITA EXPERIMENTAL

Autores: Francisco Silva Cavalcante Junior (Orgs.)

livro digital
de R$ 42,70 por

Disponibilidade: 2 Dia(s)
+ Prazo de Frete

 
Indique para um amigo
Insira seu CEP para calcular o frete:

Sinopse

Este é um livro sobre o infinito visto de cima, de dentro, de longe, de perto, das profundezas e das superfícies de quem o es-creve/ins-creve/ex-creve: é possível que o infinito seja apenas autoral, pessoal, identitário? O Coletivo Insopitáveis neste volume foi composto por André Feitosa, Antonio Layton, Berta Ponte, Cavalcante Junior, Fernanda Massagardi, Karoline Pereira, Michelle Sales, Patrícia Lemos, Renan Citó, Sávio Mariano, Tarcila da Costa, Tatiana Zylberberg, Thyers Oliveira, Ticiana Paiva, Yuri Sales... e o Fora que incita os respectivos corpos.

Detalhes do produto

Editora: EDITORA CRV
ISBN:978-65-86087-09-3
DOI: 10.24824/978658608709.3
Ano de edição: 2020
Distribuidora: EDITORA CRV
Número de páginas: 214
Formato do Livro: 16x23 cm
Número da edição:1

Sumário

INFINITO E ESCRITA EXPERIMENTAL

Autores

ANDRÉ FEITOSA DE SOUSA (ÀS VEZES, SOUZÃO E NÃO ANDRÉ)
Foi Vovó Catarina de Aruanda quem me disse, pelos idos de 2012: “Izzi filho é um Escutador, pois não é?”. Além de Psicólogo com formação generalista (Mestre em Saúde Pública, em Relação de Ajuda), tornei-me parte no lugar arcaico dos Sherpas e Terapóns sobre o altar de Éros & Psiké, antes dos Acompanhantes de Anúbis na Jornada da Alma. Não imaginei que a Preta-Velha de Aruanda referia-se àquelas dinâmicas da Psicoterapia tão Humanista e Moderna, reformulação, por sua vez, a partir da Filosofia Pragmatista Americana, com o legado da Pessoa e da Individualidade dos Europeus. Antes dos meus vinte anos, já no meu corpo, percebia uma disponibilidade para o silêncio que é deslocamento e atravessamento pela alteridade/eternidade. De mim, portanto, referiam-se como alguém que lia e conversava, mais do que isso, entretanto, uma década antes, eu já escrevia – diferentemente da madrinha que versava melodiosamente no piano e do meu avô que recorria à datilografia, foi a minha mãe quem afirmou que, por causa da escrita, homens e mulheres foram presos na Ditadura e, afinal, minhas letras amadureceram nos ficheiros dos computadores domésticos. Essa nuance que tanto importava às definições materialistas e socialmente classistas, do tipo Literato ou Belas-Letras (e que se atualizou nas titulações acadêmicas), para mim era secundária: quem de fato primeiro escutei foram os mortos, na herança relacional da família paterna. Assim caminhei, outras vinte revoluções solares, para reconhecer meu trabalho plástico (de artes instalativas e visuais) no âmbito da investigação sobre ancestralidade. Descobri que os ruídos dos espaços e das ontologias também me alimentavam, de maneira que ainda escrevo por força dessa escuta, sendo tudo mais amplo que a ficção “André Feitosa” ou do território imaginal que forjei a partir de Coimbra.

ANTONIO LAYTON SOUZA MAIA
Professor substituto dos cursos de licenciatura e bacharelado em Dança da Universidade Federal do Ceará (UFC), possui interesse por teatro, música e dança. Mestre em Artes e Bacharel em Publicidade e Propaganda, ambos pela Universidade Federal do Ceará (UFC), é improvisador e busca experimentar entre as fronteiras das artes, criando textos, cenas, improvisos que pensem as relações entre corpo, mundo e filosofia.

BERTA LÚCIA NEVES PONTE (ÀS VEZES, BELÚ E NÃO BERTA)
Graduada em Psicologia (Universidade de Fortaleza, na primeira turma de 1984-89), pós-graduada em Estudos Literários e Culturais (Universidade Federal do Ceará), com mestrado em Psicologia (Universidade de Fortaleza). Realizou cursos inconclusos de graduação em Administração/Economia e de pós-graduação em Administração de Recursos Humanos, Psicanálise e Saúde Coletiva. Desempenhou Consultoria em Psicologia Organizacional (1993-97), incluindo oferta de Grupo de Multiplicadores. Participou de Formação Profissional em Psicodiagnóstico e Formação Continuada em Psicologia Clínica (1984-2000, entre Belo Horizonte e Fortaleza), segundo enfoque multidisciplinar (Filosofia, Sociologia, Antropologia, Literatura), atuando como Psicoterapeuta independente (desde 1989), com atendimentos individuais e grupais, de crianças e adolescentes nos primeiros vinte anos, hoje também adultos. Filha de mãe e família mineiras, tornou-se pesquisadora autodidata sobre o corpo literário de João Guimarães Rosa, desde 1986. Atualmente Doutoranda em Literatura na Universidade de Évora (Portugal), onde discute práticas de legência com inspiração pós-estruturalista sobre a obra Grande Sertão: Veredas. Autora de “Desertos & Travessias – uma imersão no silêncio” (Armazém da Cultura, 2019). Mãe da Aline, avó do João Antônio e Luca Ponte.

DOMINGOS SÁVIO MARIANO FILHO
Graduado em Cinema e Audiovisual pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Publicado na coletânea Paginário pela Aliás Editora. Leitor apaixonado. Cineasta realizador de vídeo-poemas e vídeo-performances. Investigador poético da imagem e das dores eróticas, usando o próprio corpo como ponto de partida para suas pesquisas. Busca atravessar e dançar entre as fronteiras que separam e ligam as linguagens artísticas.

FERNANDA MARIA MACAHIBA MASSAGARDI
Graduada em Artes Visuais (licenciatura e bacharelado) pela Universidade Estadual de Campinas. Doutora em Psicologia Educacional pela Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (tese: Percursos da literatura na educação: ensinar contando histórias). Pós-doutora em Artes – Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas (“Memorial dos sentidos em crônicas e arte”, uma investigação voltada à memória social da terceira idade). Pós-graduanda em Gastronomia e cozinha autoral – Pontifícia Universidade Católica – RS. Pesquisadora/colaboradora do curso de graduação do Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas (2014-2016). Autora do material de Artes do programa PEQ do Governo do Estado de São Paulo. Possui curso de extensão universitária em Fundamentos Teóricos e Prática Pedagógica em Educação Infantil e Ensino Fundamental. Tem experiência na área de artes, literatura, artesanato, poesia, projetos sociais e inclusivos e contadores de histórias, com ênfase em arte/educação. Líder do grupo de Pesquisa em Educação Estética do Instituto de Artes da Unicamp, certificado pelo CNPq (2014-2016). Integrante do grupo de Educação para a Paz – Laboratório de Psicologia Genética – Unicamp. Integrante do grupo de pesquisa Arte e Espiritualidade – Universidade de São Paulo.

FRANCISCO SILVA CAVALCANTE JUNIOR
Pesquisador-poeta e professor universitário. Há 25 anos dedica-se ao estudo e ao ensino de pesquisas qualitativas, com experiência no uso dos métodos etnográfico, fenomenológico, heurístico e da cartografia. Motivado pelo chamamento de Norman K. Denzin, no livro The Qualitative Manifesto: a call to arms, para que outros modos de escrever sobre o mundo fossem criados se a intenção dos pesquisadores é produzir mudanças, passou a conceber e a praticar a ciência poética desde 2010. Atualmente ensina estudantes dos cursos de graduação em Cinema, Dança, Filosofia, Gastronomia, Jornalismo, Moda, Música, Publicidade e Teatro, nas disciplinas de Metodologia de Pesquisa em Arte, Filosofia e Ciências; Literatura, Cultura e Arte; e Técnicas de Processos Criativos ministradas no Instituto de Cultura e Arte (ICA) da Universidade Federal do Ceará (UFC). É professor-orientador no Programa de Pós-Graduação em Avaliação de Políticas Públicas (PPGAPP) da UFC, com interesse nos métodos pós-estruturalistas de avaliação. Realizou Estágio de Pós-Doutorado no Grupo Siruiz – Estudos em Comunicação e Produção Literária, no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília (UnB). É Ph.D. em Leitura e Escrita pela Universidade de New Hampshire (EUA), com mestrado em Educação Especial na mesma Universidade e Psicólogo formado pela Universidade de Fortaleza (Unifor). Coordenador da varanda de ciência poética (cipó) e da Comunidade de ações para redesenho dos modos de existência e prevenção do suicídio (CARMENS). Autor de 16 livros, as suas mais recentes publicações de ciência poética são: Travessias de cigano: feituras e feitiços (Armazém da Cultura, 2017), Corpos insólitos (CRV, 2018), Mobpoéticas à mão (Radiadora, 2018), Leveza e escrita experimental (CRV, 2019) e A existência em ruínas (CRV, 2019).

HELTON THYERS MELO OLIVEIRA
Padre e religioso, missionário redentorista. Psicólogo formado pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR) e Bacharel em Teologia pela Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia (FAJE). Se dedica à área da Clínica Psicológica na Abordagem Centrada na Pessoa (ACP). Encontra na mística interpessoal da relação de ajuda a experiência de amplitude do in-finito.

KAROLINE PEREIRA
Diretora de Operações na APICE. Especialista em Desenvolvimento do Potencial Humano nas Organizações pela PUC Campinas. Possui capacitação em Primeiros Socorros Psicológicos, Psicologia nas Situações Extremas e em Comportamento Suicida pela Unicamp. Experiência na área de Recursos Humanos e relações humanas nas organizações. Experiência em docência. Atualmente trabalha com Psicoterapia, Plantão Psicológico, workshops, organização de eventos, cursos e capacitações.

MICHELLE SALES
Professora, pesquisadora e curadora independente. Docente da Escola de Belas Artes (Universidade Federal do Rio de Janeiro) desde 2009, Investigadora do Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX (Universidade de Coimbra), Coordenadora Científica do projeto “À Margem do Cinema Português: estudo sobre o cinema afrodescendente produzido em Portugal” (financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian). Curadora da Exposição “Daqui pra frente: Arte Contemporânea em Angola” (Caixa Cultural, Rio de Janeiro, 2017, Brasília, 2018) e da Residência Artística “Afroeuropeans” (Fundação Calouste Gulbenkian/Colégio das Artes, Universidade de Coimbra, 2019). Coordenadora do Seminário Temático “Cinemas Pós-Coloniais e Periféricos da Socine” (2018 – )/Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual, e do Grupo de Trabalho “Cinemas Pós-Coloniais e Periféricos” (2018 – ) da AIM/Associação de Investigadores da Imagem em Movimento (Portugal). Fez parte da Comissão Organizadora da “I Intersectional Conference” (Portugal, 2020).

PATRÍCIA MENDES LEMOS
Leitora de mundo e autora experiencial. Tem se dedicado ao exercício da Psicologia como psicoterapeuta, técnica e pesquisadora há dezoito anos. Teve vasta atuação nas políticas públicas, principalmente nas áreas da Saúde Mental e Sócio-asssistencial. Realiza atividades de pesquisa, orientações acadêmicas e produção de trabalhos autorais (livros e capítulos), além de crônicas e narrativas clínicas, sendo atravessada por uma diversidade de temáticas que versam sobre a subjetividade social e as relações humanas. Graduou-se em Psicologia pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR/CE). Tornou-se mestre em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará (UFC/CE). Atualmente ministra disciplinas em curso de graduação em Psicologia na área do Desenvolvimento Humano e da Psicopatologia e Intervenções clínicas. Supervisiona disciplinas de Estágio em Psicoterapia na perspectiva humanista e fenomenológica. Atua como psicóloga e supervisora clínica no âmbito privado.

RENAN BRASIL CAVALCANTE CITÓ
Graduado em Psicologia (Universidade de Fortaleza); Especialista em Saúde da Família e Comunidade (Residência Integrada em Saúde – Escola de Saúde Pública do Estado do Ceará); Mestre em Avaliação de Políticas Públicas (Universidade Federal do Ceará); Professor do Curso de Graduação em Psicologia do Centro Universitário Christus; Missionário e voluntário da Obra Lumen e colaborador da Ação Social Lumen. Atua em Psicoterapia e Psicologia Comunitária. É pessoa e escreve para afetar, provocar, anunciar, convidar. Sem mais meias palavras, diz aos afetados que se quiserem conhecê-lo de verdade, acompanhe-o ao Jangurussú.

TARCILA LIMA DA COSTA
Professora Assistente Doutora na UNESP – Bauru, no Departamento de Artes e Representação Gráfica (DARG) da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação (FAAC). Possui graduação em Educação Artística (Licenciatura/Habilitação em Artes Plásticas) pela Universidade Estadual Paulista (2003). Mestrado em Ciências (Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais – HRAC/USP/ USP – 2012). Doutorado em Ciências, com pesquisa na intersecção entre Arte, Educação e Saúde (HRAC/USP – 2016). Tem experiência nas áreas de arte, de arte-educação e na intersecção entre arte e saúde. Investiga as relações entre arte e vida e espaços de arte como produção de cuidado.

TATIANA PASSOS ZYLBERBERG
Membro da Academia Itajubense de Letras (AIL). Cursou Licenciatura, Bacharelado, Mestrado e Doutorado na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp-SP). Adora criar caminhos para ensinar a ver com todos os sentidos, por isso, inventou exposições no escuro, as quais fizeram nascer o projeto de extensão “De Corpos no Mundo”, instalado no Instituto de Educação Física e Esportes da Universidade Federal do Ceará (UFC) onde é docente desde agosto de 2011. Suas intensas dores decorrentes do diagnóstico tardio de endometriose, fizeram parir também o projeto de extensão: Mulheres e novelos, o qual promove o acolhimento, a escuta e o empoderamento, principalmente, de mulheres atendidas pela MEAC/SUS. Em 2019 publicou o livro infanto-juvenil “O menino que desenhava o invisível” pela editora Demócrito Rocha, produção da APDMCE em parceria com UNICEF que atendeu 62 municípios do Ceará. Sua caminhada pode ser visitada em www.tatianazylberberg.com.

TICIANA PAIVA DE VASCONCELOS
Mentora e professora nos cursos da APICE.  É Mestre (UNIFOR) e Doutora (PUC-Campinas) em Psicologia. Tem formação em psicologia humanista (ACP) e é supervisora de atendimentos clínicos, grupos e Plantão Psicológico. É professora universitária e desenvolve pesquisas sobre novas metodologias de atenção e cuidado psicológico em situações extremas. É pioneira no Brasil na formação de profissionais para o cuidado a crise emocional (Psychological First Aid) e na criação e implementação de serviços psicológicos de pronto-atendimento ao suicídio.

YURI DE NÓBREGA SALES
Psicólogo, possui mestrado em Psicologia pela Universidade de Fortaleza/UNIFOR e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Ceará/UFC. Foi pesquisador visitante da Universidade de Toronto (2009/2010), com bolsa do Canadian Bureau for International Education. É psicoterapeuta, com formação em Abordagem Centrada na Pessoa, e possui mais de 10 anos de atuação clínica. Atualmente leciona no curso de Psicologia da Unifametro. É autor de mais de duas dezenas de publicações, entre artigos, livros e capítulos, especialmente sobre psicologia clínica, psicologia humanista e educação. Recentemente, tornou-se pai, o que aprofundou sua verve para emulador de poetas inexistentes.